COLUNAS



COLUNA DO TECAU

com


Luiz Antonio Tecau

Obrigado pra quem?



Puxando a brasa (ou seria o barro?)

O que era para ser apenas puxada da brasa para a própria sardinha acabou revelando um grave problema de falta de comunicação dentro do governo municipal, na melhor das hipóteses. Tudo começou quando o vereador Amilton Bianchet, o Mito, agora do MDB, gravou um vídeo e compartilhou em sua página no Facebook. Na postagem, que mostra um caminhão despejando macadame numa estrada, na área rural de Camboriú, Mito relata a obra: “Nós estamos aqui na estrada geral do Braço, fazendo o alargamento da via e também macadamizando”. Mito não deixou de agradecer ao prefeito Elcio pela obra, ao secretário Bacatela e a “todas as secretarias envolvidas”. Bacatela é o apelido de Josué Marçal, que está a frente da Secretaria de Obras do município. Assista ao vídeo:

Porém…

Subitamente, as obras de melhoria na estrada pararam. Após denúncia anônima, fiscais de prefeitura descobriram que a obra não tinha autorização da Secretaria de Obras nem da FUCAM, órgão que concede autorização para retirada do barro (que foi extraído para o alargamento da estrada). Foi apurado que um servidor municipal tomou a iniciativa das obras de alargamento. Nenhuma equipamento da Secretaria de Obras foi utilizado nesse trabalho: os equipamentos usados no trecho pertencem a empresas privadas.

Tem mais

Com a súbita pausa na obra, o vereador Zeca Simas, do DEM, questionou o secretário Josué Marçal, o Bacatela,  sobre a interrupção na obra. Em um áudio, ele pergunta: “Bacatela, quê que deu que mandaram o Jonas pará (sic) lá o barro...foi o vídeo do Mito? Quê que a Liara se meteu lá?”, questiona, se referindo a Liara Rotta Padilha, presidente da Fundação do Meio Ambiente de Camboriú (FUCAM). Em um segundo áudio, ele mesmo responde: “Olha, eu vou dizer pra ti o que é que houve, tá? O Mito fez uma postagem lá, querendo se aparecer, aí eu mandei um áudio pra ele. Eu disse: Mito, tens que agradecer eu, tá? Foi eu que liberei. Não foi nem a Liara, nem prefeito. A partir do momento que eu disse que podia tirar, eles começaram a trabalhar e o Nininho veio falar comigo e eu disse ‘não, vai lá, tira, tira. Alarga a estrada, faz bem até pra própria estrada’. Eles vieram pedir pra mim, tal...Aì ele foi foi lá fazer um vídeo e eu disse: ‘ó Mito, esquecesse de agradecer eu, porque se tão alargando porque eu liberei”. Provavelmente ele passou esse áudio pra Liara  e a Liara se queimou-se. Deve ser isso”
.
Oi?

Até onde eu sei, o Executivo executa e o Legislativo legisla. Segundo o relato do vereador, que é presidente da Câmara Municipal, o próprio  deu autorização para o alargamento da estrada geral. Não vamos entrar no mérito da questão do benefício da obra para a comunidade. É muito importante a realização de melhorias,o  alargamento de vias, a macadamização das estradas de chão. Mas existem trâmites legais para TUDO. Até pra vender pipoca na rua precisa de autorização. Mas isso um legislador deve saber, né?

História antiga

Esse combo alargamento de rua/extração irregular de barro não vem de hoje. O LP publicou uma matéria há pouco mais de um ano, denunciando a retirada irregular do barro e a venda do material para particulares. Após a publicação, os envolvidos foram notificados e a extração cessou. Recentemente houve rumores que a prática continuava. Com o vídeo do Mito e as declarações de Zeca, cabe a quem compete apurar e tomar as devidas providências. Ou então, cada um faz o que quer na cidade.

Por ora, é isso

Confira o áudio:



Sobre Luiz Antonio Tecau

Editor Chefe


Sobre a Coluna

Coluna do Tecau

Um giro sobre o que desperta o interesse na cidade, no Brasil e no mundo, por Luiz Antonio Tecau.


COMENTÁRIOS