COLUNAS



LINHA SAÚDE MENTAL

com


Joyce de Almeida Cruz

​Resiliência



O ano de 2020 está cheio de surpresas desagradáveis: a covid-19 trazendo o isolamento social, a possível chuva de gafanhotos, desempregos devido à economia fragilizada, ciclones, e etc. E sendo este nosso contexto atual vamos continuar a explorar reflexões que tragam a tona transformações positivas que tudo isso pode proporcionar, e na coluna dessa semana quero destacar o conceito de resiliência que pode ser explorado justamente por tudo o que estamos passando agora.

Sabem o que significa resiliência?

A resiliência refere-se ao potencial humano em se recuperar, sobreviver e seguir em frente após passar por situações adversas (traumas, desemprego, luto, dentre outros). E resiliente é a definição para as pessoas que conseguem organizar suas vidas após vivenciar essas dificuldades, exemplos podem ser: perda de emprego, morte de ente querido, doença grave, acidentes, separações ou mudanças muito bruscas.

A pessoa resiliente mesmo que esteja em sofrimento devido às situações difíceis da vida ainda assim consegue seguir em frente, ou seja, a pessoa que é resiliente também sofre, mas a diferença é que ela consegue resgatar seu equilíbrio. Ser resiliente não significa não sofrer ou sofrer menos, significa que apesar de tudo a pessoa compreende que resgatar o equilíbrio é possível e se direciona para isso respeitando o próprio tempo e os próprios limites.

Esse ano tem sido bastante assustador devido à gravidade dos problemas que estamos enfrentando, não está sendo fácil, mas tem sido possível seguir em frente. Aqui em nosso município já tivemos problemas com o excesso de chuvas onde muitas famílias foram afetadas, em seguida veio a covid-19 restringindo nossas relações humanas e bagunçando toda a economia, escutamos ainda que talvez viesse uma tempestade de gafanhotos, eles não vieram, mas tivemos um ciclone que trouxe bastante destruição e que infelizmente pretende voltar. Tive contato com várias pessoas que tiveram as casas destelhadas e outros danos, no geral ficamos todos sem energia elétrica, sem internet, sem telefone, sem celular, alguns sem água e etc. E, após esse susto víamos as pessoas se organizando e buscando reconstruir suas vidas, suas casas, sua visão sobre o mundo e sobre a vida.

Vejo que com tudo isso nós seguimos em frente, alguns com um pouco mais de dificuldade, já outros facilmente determinados a dar a volta por cima e se apegar as motivações de vida para se organizar. Algumas pessoas são mais resilientes que outras, porém a resiliência pode ser cativada todos os dias, então permita que tudo isso que vem acontecendo seja transformador em sua vida, aprenda com cada lágrima que cair de seus olhos.

Dito tudo isso gostaria ainda de destacar um fenômeno que ocorre na vida de todos. Nós seres humanos precisamos de motivações para “funcionar”, motivar-se pelas coisas boas é possível, mas o crescimento mais potente e significativo surge perante os momentos de dificuldades, são nessas situações que nós aprimoramos nossas capacidades de adaptação e criatividade para seguir a vida. Então já que é isso o que se apresenta pra ser vivido que possamos trazer pra vida transformações e aprendizados que nos ajude a nos tornar seres humanos cada vez melhores e mais amorosos.
Joyce de Almeida Cruz


Psicóloga Clínica
CRP 12/11350
(47) 99905 2536 – whatsapp
Joyce.cruz.5473 - instagram 

 

Sobre Joyce de Almeida Cruz

Psicóloga


Sobre a Coluna

Linha Saúde Mental

Uma coluna que reúne assuntos relacionados a saúde mental a partir do olhar da psicologia. Temas que podem ajudar as pessoas a lidarem com suas emoções e sentimentos, e ajudar ainda na compreensão sobre temas do dia a dia a fim de promover a saúde mental de todos, com a psicóloga Joyce Almeida.


COMENTÁRIOS