EDUCAÇÃO

Posse do novo ministro da Educação é adiada por discrepâncias no currículo
Universidades onde Decotelli teria formações não confirmaram a certificação




Imagem: Divulgação

Anunciado como novo ministro do Ministério da Educação (MEC), Carlos Alberto Decotelli já está envolvido em polêmicas. A sua posse, marcada para terça-feira, 30, foi adiada, a mando do Presidente Jair Bolsonaro, após serem constatadas discrepâncias no currículo do ministro. 

O primeiro questionamento veio após a Universidade de Rosário (Argentina) dizer que Decotelli não concluiu o doutorado e que a tese dele foi reprovada, mesmo tendo concluído todos os créditos. Diante da revelação, o currículo foi alterado, sem constar o doutorado. Já o segundo questionamento veio nesta segunda-feira, 29, onde a Universidade de Wuppertal (Alemanha) emitiu nota informando que Carlos Alberto Decotelli não fez pós-doutorado na instituição. Com isso, novamente o currículo disponível da plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) foi alterado, excluindo a citação ao pós-doutorado. 

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) foi designada por Bolsonaro para que seja feita uma rechecagem em todo o currículo de Decotelli. Com isso, fica o questionamento se ele assumirá ou não a pasta.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






EDUCAÇÃO  |  26/06/2020 - 14h


EDUCAÇÃO  |  17/06/2020 - 13h