POLÍTICA

Oposição processa Elcio por publicidade institucional durante período das eleições
Acusação diz que funcionários da prefeitura eram quem faziam as divulgações na página do prefeito. Defesa diz que está tranquila e que Elcio fez publicações de acordo com a lei


A ação judicial é contra Elcio e Junior. (Foto: divulgação)

A coligação "Com você para Camboriú crescer", do PSDB e outros seis partidos, protocolou uma ação judicial eleitoral contra o atual prefeito, Elcio Rogério Kuhnen (MDB), e atual vice-prefeito, Júnior Cardoso (PL), de Camboriú. 

A dupla é acusada de ter usado funcionários da prefeitura para fazerem publicações nas redes sociais do candidato à reeleição, Elcio, e por gravar discursos dele em frente a obras pedindo votos. A ação foi protocolada durante a campanha de 2020. 
A acusação pede pela cassação do registro de candidatura e inelegibilidade por oito anos de Elcio e Júnior. Se o PSDB ganhar a ação, será preciso uma nova eleição no município. 

Defesa diz que está tranquila

O advogado de Elcio no caso, Marcelo Vrenna, diz que a defesa está tranquila quanto ao processo. Vrenna confirma que houveram publicações divulgando os feitos de Elcio durante a campanha eleitoral, mas foram feitas nas redes sociais do próprio prefeito - contas essas que estariam registradas juntas à sua candidatura, o que é permitido. 

Vrenna ainda relembra que, assim como outras prefeituras e órgãos públicos municipais, durante o período eleitoral, a Prefeitura de Camboriú optou por suspender as publicações em suas redes sociais. Mesmo que não haja lei que obrigue essa suspensão, foi uma medida tomada para evitar problemas. 

A defesa ainda relembrou que respondera recentemente a um caso "exatamente idêntico". De acordo com o advogado, um outro partido da mesma coligação entrou com a ação pelo mesmo motivo. Na ocasião, o juiz teria feito análise do mérito e entendido que não havia problemas com as publicações.

Por fim, Vrenna finalizou ao dizer que a defesa tem o entendimento que o prefeito fez a propaganda eleitoral em seu exercício regular. "Falou sobre feitos e realizações sem utilizar da máquina pública. Usou da sua equipe de campanha", concluiu. 
Agora, uma testemunha, apresentada pela acusação, que disse ter visto funcionários da prefeitura fazerem as publicações nas contas pessoais de Elcio, será ouvida pelo juiz.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   26/05/2022 15h30