ENTRETENIMENTO | Rock em Camboriú

Kido Vechi e seus Fantásticos em ritmo de Jovem Guarda
A banda que embalou os sonhos na Camboriú dos anos 70.


Os Fantásticos

O gato preto cruzou a estrada
passou por debaixo da escada
e lá no fundo azul, da noite da floresta
a lua iluminou a dança, a roda, a festa


Esses são os primeiros versos de O Vira, canção do trio Secos e Molhados. A música, intepretada no falsete singular de Ney Matogrosso, liderava as paradas de sucesso em 1973.
Nesse mesmo ano, um sexteto agitava a cena musical em Camboriú: Os Fantásticos.
O grupo tinha na formação os irmãos Vechi (Euclides Vechi, o Kido, e José Isair Vechi, o Boneco), além de mais quatro integrantes: Ademar Correia, o Beiçudo;  Lorildo, Luiz Carlos Montibeller e Edson Moraes Lessa, o Serrote.

O repertório dos Fantásticos era  composto por valsas, xotes, baião e marchinhas de carnaval. Mas a pegada roqueira era conduzida pelo Kido,o vocalista e tecladista do grupo,  que interpretava sucessos dos ídolos da Jovem Guarda, algumas canções dos Beatles e também do  conjunto Os Incríveis, que fez muito sucesso nos anos 70. A grande paixão do Kido era Elvis Presley: "A grande influência do grupo era o Elvis, o pai é muito doido por Elvis Presley, além do Roberto, do Erasmo e dos sucessos que tocavam na época. Não era um rock muito pesado, mas eles gostavam dessa vertente", explica a jornalista Sicília Vechi, filha do músico. Ela revela outra curiosidade da banda: a pronúncia das letras das músicas estrangeiras. "Ninguém na banda sabia inglês.  Então, minha tia ouvia as músicas e escrevia pra eles com a pronúncia que ouvia", recorda.

Edson Moraes Lessa, o Serrote, também foi integrante do Fantásticos, como guitarrista.  O músico ficou no grupo até 1975. Depois, se mudou para São Lourenço do Oeste, onde encerrou sua carreira musical, nos anos 90. Após a saída de alguns integrantes,  Kido formou um quarteto com nova formação,permanecendo nos vocais e teclados. Boneco permaneceu na bateria e junto com dois novos integrantes nasceu o Kido Som 4. 

Além dos covers de outras bandas, Kido também compôs diversas músicas. Entre as composições está o "Hino à Camboriú", que em 2021 recebeu um novo arranjo e foi regravado pela musicista Hortência Vechi, que também é filha do músico

Os Fantásticos/Kido Som 4 embalaram sonhos e romances inocentes nas jovens tardes de domingo de uma Camboriú que ficou no passado. Ficou a saudade no coração de uma geração inteira. Uma saudade que Roberto Carlos sintetiza em forma de canção:

Hoje meus domingos são doces recordações
Daquelas tardes de guitarras, sonhos e emoções
O que foi felicidade, me mata agora de saudade
Velhos tempos. Belos dias.


Dedicamos esse texto à memória de José Isair Vechi, o Boneco, mais uma vítima da covid-19 em Camboriú.


Confira o vídeo:






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ENTRETENIMENTO  |   29/08/2021 08h24





ENTRETENIMENTO  |   26/08/2021 17h48


ENTRETENIMENTO  |   04/08/2021 13h45