LINHA ESPECIAL

​Escotismo: Um estilo de vida
Dia 06 de agosto é celebrado o Dia Interamericano do Escotista; Adriano da Silva, do Grupo Escoteiro Terra do Vale, fala sobre o movimento escoteiro e a importância no desenvolvimento de crianças e adolescentes.




Foto: Divulgação

Há 113 anos, o Movimento Escoteiro vem incentivando jovens a assumirem seu próprio desenvolvimento, evoluindo como pessoas responsáveis, solidárias, autônomos e comprometidos. O Escotismo foi criado em 1907 por Robert Baden-Powell, na Inglaterra e se tornou  um movimento mundial, com grupos em quase todos os países. Na América, o dia 06 de agosto é celebrado o Dia Interamericano do Escotista. 

Escoteiro há mais de 30 anos, Adriano da Silva, atualmente, é Diretor de Gestão de Adultos e Projetos do Grupo Escoteiro Terra do Vale de Camboriú. Sua trajetória como escotista começou em 1989, em em um Grupo de Balneário Camboriú como membro Juvenil. Em 1996, já com 18 anos, junto com um grupo de amigos, fundou o Grupo Escoteiro Terra do Vale, onde ocupou cargos como chefe de seção, Diretor Técnico e Diretor Presidente, ademais, já foi Membro da EREF (Equipe Regional de Formação), coordenando campamentos intermunicipais e programas. Em nível de Distrito, esteve à frente como assistente distrital de ramo sênior durante os anos de 2011 até 2014, e depois de 2016 a 2017.

 “É aquilo que desejei me tornar pessoalmente e profissionalmente, diz Adriano. O Escotismo se tornou seu estilo de vida, e contribuiu para sua formação acadêmica profissional, e o formou como cidadão responsável. Para ele, o movimento representa tudo que acredita, desde a educação de crianças e jovens, a fraternidade, a responsabilidade, e “tentando deixar o mundo um pouco melhor daquele que encontramos”, frase do fundador que é levada até hoje pelos membros dos grupos. 


O Movimento Escoteiro foi criado para ser um movimento voltado para o jovem, e também feito por eles, mas com o auxílio de adultos voluntários. “Se chama movimento por estar sempre em constante transformação, acompanhando as mudanças da geração, mas sem perder seu propósito educacional”, explica Adriano. 

O objetivo do Escotismo é ensinar uma visão de futuro baseado nos valores escoteiro, que os ajude a construir um mundo melhor, onde todos os indivíduos desempenhem um papel construtivo na sociedade. O Movimento acredita que pensando global e agindo local, por meio de boas e pequenas ações, se pode transformar o mundo. Para isso, é proporcionado, através de atividade variadas, oportunidades para que os jovens desenvolvam competências para a vida, como autonomia, autoconfiança, determinação, liderança, respeito pela diversidade, e habilidades para lidar com a complexidade. 



“É no grupo escoteiro que o Escotismo verdadeiramente acontece. Quem aplica as atividades, dinâmicas e ajuda os escoteiros são os adultos voluntários, conhecidos por escotistas. Os jovens, por sua vez, são divididos conforme sua faixa etária para que o Programa Educativo possa ser trabalhado nas seis áreas de desenvolvimento: físico, intelectual, social, afetivo, espiritual e de caráter, com base nas características individuais de cada fase”, conta o diretor. 

 Em Camboriú, o Grupo Escoteiro Terra do Vale, fundado em 05 de setembro de 1996, atualmente conta 108 crianças e adolescentes, e 30 adultos voluntários. Em 2007, a instituição foi reconhecida como de utilidade pública municipal pela Lei Ordinária nº 1768.  No Grupo as crianças, adolescentes e jovens são reunidos em ramos conforme sua faixa-etária e fase de desenvolvimento.  Cada Ramo adapta o Método Escoteiro às características evolutivas própria de seus participantes compreendendo Lobinhos (6,5 a 10 anos), Escoteiros (11 a 14 anos), Seniores (15 a 17 anos) e Pioneiros (18 a 21 anos). 

As atividades do grupo acontecem semanalmente aos sábados, das 14h às 17h na Rua Victor Juvêncio Mafra, nº 930, Centro de Camboriú. Quem quiser participar deve ter entre 06 anos e meio a 21 anos. O custo é variável, mas em geral, são cobradas a inscrição e um contribuição mensal, em torno de R$50,00, que é usado para ajudar na manutenção da sede e compra de materiais para as atividades. O GE Terra do Vale também oferece bolsas para aqueles que não tem condições de pagar a mensalidade e que são moradores de Camboriú. Porém, as atividades estão paralisadas por conta da pandemia de Covid-19. 






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



LINHA ESPECIAL  |  29/08/2020 - 16h





LINHA ESPECIAL  |  19/08/2020 - 11h


LINHA ESPECIAL  |  07/08/2020 - 19h