LINHA ESPECIAL

Rádio: Veículo de informação atemporal
A história do rádio, como ele chegou ao Brasil, qual foi sua importância e como foi reinventado após a criação da televisão e da internet.


Foto: Divulgação

   A primeira companhia de rádio foi criada em 1896, em Londres, pelo cientista italiano Guglielmo Marconi. Atualmente o rádio continua com força e segundo uma pesquisa do Kantar IBOPE Media, cerca de 78% dos brasileiros ainda ouvem, sendo então, considerado um dos meios mais populares para a comunicação em massa.
 
Rádio no Brasil
       No Brasil, a história da rádio começou em 1922, no Rio de Janeiro, com um discurso do presidente Epitácio Pessoa em comemoração aos 100 anos de independência do país. E foi no dia 23 de setembro do ano seguinte que foi fundada oficialmente a primeira emissora de rádio nacional, nomeada como Rádio Sociedade do Rio de Janeiro com o objetivo de transmitir óperas, poesia e informações sobre os eventos culturais da cidade. Com o passar dos anos o rádio evoluiu muito, como se pode ver abaixo:
 Primeira transmissão de rádio no Brasil Foto: O Globo
1924 - Foi regulamentada a atual faixa de Ondas Médias e tornando possível a existência de várias emissoras rádios no país;
1931 - As rádios Record e América de São Paulo são inauguradas. Também foram vendidos os primeiros receptores com o nome das estações no dial e adotava integralmente o modelo de radiodifusão norte-americano;
1932 - Foi autorizada a publicidade em rádios e, ao mesmo tempo, em São Paulo acontecia Revolução Constitucionalista, momento em que o rádio foi um grande veículo para integração da sociedade;
1935 - Surge o programa político "A Voz do Brasil", hoje um dos programas de rádios mais antigos do Brasil e do hemisfério sul;
1936 - É fundada a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, foi a primeira rádio a operar em quase todo o território do país e ficou muito conhecida por trazer programas de auditórios e rádio novelas;
1937 - A Rádio Bandeirantes foi inaugurada em São Paulo e se tornou pioneira em divulgar notícias durante ao longo de toda sua programação;
1938 - Foi um ano histórico, além da inauguração Rádio Globo (reconhecida como AM mais popular do país) as pessoas puderam acompanhar a Copa do Mundo da França e as guerras que poderiam acontecer na Europa deixaram as notícias transmitidas pelo rádio cada vez mais importantes;
1941- A Rádio Nacional faz história lançando o primeiro jornal e a primeira radionovela do Brasil;
1955 -Fundação da primeira rádio FM do Brasil, a Rádio Imprensa e atualmente conhecida como Mix FM Rio;
1966 -Foi inaugurada a Rádio Tropical FM, em Manaus conhecida a primeira rádio do Brasil e da América do Sul a operar em FM estéreo, hoje é nomeada como Rádio Cidade;
1990 - Rede Bandeirantes se torna a primeira rádio do Brasil a transmitir via satélite em mais de 80 regiões do país;
1991 - O Grupo Globo inaugura a CBN (Central Brasileira de Notícias) dedicada apenas em divulgar notícias;
1995- A rádio KLIF tornou-se a primeira emissora comercial a transmitir conteúdo de forma contínua e ao vivo através da Internet no Brasil;
2005 - Foi comemorado os 84 anos do rádio brasileiro, e começam as primeiras transmissões de rádio no sistema digital.
 
Uma voz experiente
       Vidal Antunes de Souza é radialista há 45 anos, ele relata que trabalhar na rádio é uma vocação e que exige muita dedicação e segurança, pois, se trata de uma forma de comunicação com quem está ouvindo diariamente. Também conta que no início era muito difícil se tornar um locutor, porque além de estar sempre informado e ter que se comunicar muito bem, era necessário ter uma voz grave e imponente. "Hoje em dia já está bem mais fácil trabalhar em rádio como nas rádios comunitárias, que são rádios com alcance menor que pega somente na cidade, rádio web, então é muito fácil conseguir ser locutor" diz Vidal.
 
         Um dos fatos que mais caracteriza a rádio é a aproximação do ouvinte com a pessoa que está comunicando, diferente da televisão como relata o radialista "Digamos que a televisão é ótima, mas no rádio a gente começa um programa e todo mundo participa, oferecendo música e também temos uma participação de 50 a 70 pessoas por dia". Não é atoa que a rádio continua sendo um dos veículos de comunicação mais acessíveis, sendo encontrado em carros, bares e principalmente em quase todas as casas do país.
 
Rádio x Televisão
        O rádio foi um dos pioneiros no quesito, comunicação em massa, mas ao longo do tempo as coisas foram evoluindo até que chegou a televisão, que fazia as mesmas coisas que o rádio, mas tinha um diferencial, as imagens. Segundo uma pesquisa do IBGE, em 2020 mais de 53 milhões de brasileiros tinham televisão em casa, mas mesmo com esses números tão expressivos o rádio continua sendo o veículo muito forte e isso por conta de sua eficiência e facilidade em se renovar.
 
      Diferente da televisão, produzir um programa de rádio não custa milhões, sendo assim, é muito fácil trocar o que não está dando muito certo. Atualmente é visível que as emissoras de rádio estão saindo do senso comum e usando cada vez mais a internet a seu favor, isso pode ser analisado através dos aplicativos criados pelas rádios, lives nas redes sociais, campanhas de marketing e tudo para que consigam um público mais jovem e não percam o público que os acompanha por anos.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



LINHA ESPECIAL  |   22/01/2022 09h14





LINHA ESPECIAL  |   29/08/2020 16h03


LINHA ESPECIAL  |   19/08/2020 11h04